Marraquexe, uma antiga cidade imperial situada no oeste de Marrocos, é um importante centro económico e conta com mesquitas, palácios e jardins. A medina é uma cidade murada medieval movimentada que data do Império Berbere, com ruas labirínticas, onde souks (mercados) agitados vendem tecidos, cerâmica e joias tradicionais.

Marraquexe é uma metrópole em crescimento mergulhada na história e na cultura: fabulosa e emocionante, uma mistura de passado e modernidade com o encanto de uma cidade exótica.

Jamaa El Fna

A Praça de Jamaa el Fna é a praça central de Marrakech e o lugar mais importante da medina. É, sem dúvida, a parte mais caótica – e, por isso, tão interessante – da cidade. Mais do que uma simples praça, é um ponto de encontro, amplo comércio, apresentações artísticas, opções de comida e diversão.

É nesta praça que se desenrola a vida pública de Marrakech, tanto de dia como de noite.

Qualquer hora é boa para passear por Jamaa el Fna e curtir o ambiente. A praça está rodeada de lojas de souvenirs, bares e restaurantes. Entrar em algum dos bares que têm terraço e ver a vida da praça de cima é algo obrigatório.

Hoje, a praça é reconhecida pela UNESCO como Património da Humanidade e a sua visita é uma oportunidade de voltar no tempo e absorver as antigas tradições culturais de Marrocos, deambulando por mercadores, contadores de histórias, músicos e artistas.

Koutoubia

A Mesquita Koutoubia é a mesquita mais importante de Marrakech e foi uma das maiores do mundo islâmico.

A estrutura imponente tem mais de 70 metros de altura e design decorativo incorpora uma faixa de azulejos cerâmicos e outros motivos decorativos tipicamente marroquinos.

Souks

Um autêntico despertar dos sentidos, os souks de Marraquexe ainda hoje se mantêm autênticos e merecem uma visita demorada para explorar uma das zonas mais carismáticas da cidade antiga.

Sem dúvida esta é uma das partes mais importantes da Medina para quem visita, e explorar os souks de Marraquexe, as suas ruelas e recantos, é um re-descobrir o passado de uma cidade. Todos os souks de Marraquexe estão abertos das 8h às 20h.

Mercados oferecem o melhor retrato de uma cidade. Neles encontramos os alimentos produzidos na região, as roupas que os habitantes compram e os objetos domésticos de uso cotidiano. Também representam um ponto de encontro para a população, onde vendedores, compradores e passantes marcam sua presença e trocam informações.

Os 18 “souks” da cidade estão organizados por atividades e dão trabalho a cerca de 40 mil artesãos dos mais diferentes ramos.

Os souks mais conhecidos são o Souk Addadine (souk dos artigos de metal), onde o ruído intenso dos trabalhadores a baterem o metal é uma constante, o Souk Chouari (cestos feitos com fibras de palmeira e madeira), o colorido Souk dos Tintureiros com as suas peles de lã e seda tingidas a secarem ao sol, o Souk Smata (chinelos marroquinos, babouches e outros), o Souk Zrabia (tapetes), o Souk Siyyaghin (joalharia), o Souk El-Kebir (as peles são vendidas para posteriormente serem tratadas) e o Souk das Especiarias, localizado no Mellah, o antigo bairro judeu.

Túmulos de Saadian

Selados e escondidos da vista por vários séculos, os magníficos Túmulos Saadianos mantiveram muito do seu esplendor original e são uma atracção imperdível em Marraquexe. O túmulo mais antigo do complexo remonta a 1557 e os edifícios foram construídos entre 1578 e 1603. Depois de os túmulos terem sido fechados por volta de 1672, permaneceram intactos até 1917, quando foram redescobertos e totalmente restaurados.

Podem ser vistos 66 túmulos dispostos nos dois mausoléus principais e mais 100 túmulos de azulejos brilhantes nos jardins. Construído para ser o lugar de descanso final da realeza Saadiana, os mausoléus são ricamente decorados com finos entalhes e belos azulejos zellij.

Jardins de Menara

Os extensos Jardins Menara de Marraquexe remontam ao século XII, quando os jardins foram construídos para permitir que os moradores das cidades cultivassem frutas e hortaliças. Hoje, os jardins oferecem aos moradores locais e visitantes um descanso sereno do calor e da agitação da cidade entre bosques de oliveiras, palmeiras e árvores frutíferas.

O edifício central foi encomendado pelo sultão Sidi Mohammed e dizem que antigamente foi o lugar dos encontros amorosos dos sultões da cidade.

O que realmente torna esses jardins especiais é que os canais subterrâneos foram construídos para levar água para o local a partir das Montanhas Atlas, a mais de 30 km de distância.

Palácio da Bahia

O Palácio da Bahia é uma das obras arquitetónicas mais importantes de Marrakech. Foi construído no final do século XIX com o objetivo de ser o palácio mais impressionante de todos os tempos.

Os entusiastas de arte e arquitectura podem estudar a fusão única de estilos arquitectónicos islâmicos e marroquinos enquanto passeiam pelo imponente palácio, que foi construído por volta de 1859 e está sumptuosamente decorado do chão ao tecto com mosaicos, estuques, acabamentos dourados e tectos de madeira embutidos.