TRILHO DO SOBREIRAL DA ERMIDA - Parque Nacional Peneda Gerês

A segurança, qualidade e dedicação para com os nossos clientes são pilares que sustentam as nossas atividades.

Oferta de máscaras a todos os participantes e será disponibilizado gel desinfetante para as mãos.

27 MAIO | 05 JUNHO | 07 JUNHO | 16 JUNHO | 25 JUNHO | 04 JULHO | 06 JULHO

Localização: Aldeia da Ermida, Vilar da Veiga – Parque Nacional da Peneda – Gerês

Ponto de Partida: Posto de Turismo da Ermida

Extensão: aprox. 15 km 

Duração: +/- 5h

Nível de Dificuldade: Moderado

Altitude Min/Max: 260m / 800m

Declive Máximo: 36%

Tipo de Trilho: Trilho Natural e Paisagístico – Sinalizado e Circular

OPÇÃO 1 – Transfer Ida e Volta Porto | Preço: 20,00€ p/pax

OPÇÃO 2 – Encontro no Posto de Turismo da Ermida | Preço: 12,00€ p/pax

Protocolo de higienização e boas práticas COVID-19

  • 0,00 €
  • Termos e Condições
Aldeia e Miradouro da Ermida

Este trilho começa na bonita aldeia Serrana da Ermida, situada a 550 metros de altitude, é uma aldeia de vocação agro-pastoril. Daqui irá poder contemplar os maciços graníticos do Gerês, os seus inúmeros vales e declives, a arquitetura rural e os elementos históricos da aldeia, tudo numa panóplia que mais se assemelha a um pintura, de tão bonita ser..

 

Ponte e Cascata do Arado

Já depois de algum tempo de caminhada é chegada a hora de vislumbrar a bonita cascata do Arado. 

Esta cascata representa um marco bem vincado na paisagem, caracterizada pela sua alta queda de água que no fundo possibilita a existência de uma bonita lagoa de águas cristalinas. A cascata é abastecida pelo rio Arado que por sua vez deriva do rio Teixeira e Arieiro.

Não muito longe da cascata e no decorrer deste trilho encontramos a ponte do Arado, que construída em 1936 permite-nos o transpor do rio e a subida à Serra, de maneira a podermos contemplar a riqueza verdejante nas margens do Arado.

Curral da Malhadoura

Outra das atrações deste trilho são os currais onde os pastores se resguardam a si e aos seus animais aquando da execução da típica tradição pastoril da “Vezeira”, que consiste na condução do gado para as pastagens no alto da Serra por dias ou mesmo semanas, daí a importância fulcral destes sítios, que por norma são constituídos por um local de pastagem, uma fonte com água potável e um abrigo, para a pernoita dos pastores.

Durante o trilho são de notar o Curral da Malhadoura, o mais significativo, o Curral de Portos e o Curral de Destes.

Fauna e Flora

Visto que o trilho passa por diversas altitudes e sítios com diferentes componentes geológicas, iremos passar por zonas de agrícolas, florestais, ribeirinhas e até mesmo de matos.

Em cada uma dessas zonas a paisagem muda em flora e fauna. Nas áreas de cariz agrícola destacam-se a presença das árvores de fruto e o cultivo de legumes e outros produtos essenciais ao quotidiano da aldeia.

Nas zonas florestais destacamos a existência de árvores de porte médio/grande como o carvalho, o castanheiro, o vidoeiro, o medronheiro e em algumas partes mas menos abundante o azevinho.

No entanto, nem tudo são árvores grandes, rente ao chão temos a urze branca, a giesta em tons de amarelo e o tojo.

Nas zonas ribeirinhas do Rio Arado encontram-se espécies de especial cuidado que se encontram em risco e são de interesse botânico, tais como a orvalhinha e pinguícola.

No que toca à fauna, junto da aldeia da “Ermida” teremos a presença do gado doméstico, como as cabras e as vacas que abundam na região e são essenciais à sua subsistência, nas zonas mais isoladas do percurso como os currais o habitat é bastante favorável à existência do cavalo selvagem “Garrano”, do corço, do lobo que será certamente muito difícil de avistar e de outras espécies como os esquilos e as raposas.

Um trilho que por certo não o deixará indiferente, pois trata-se de um misto de cultura, história e natureza, tudo no mesmo percurso.

100% SEGURO

  • Grupos com um máximo 5 pessoas por guia / transporte;
  • Locais e horários de caminhada com fluxo baixo de caminhantes;
  • São escolhidos trilhos com baixo grau de risco;
  • Percursos adaptados para reduzir ao mínimo o contacto com os locais;
  • Lotação dos veículos de transporte reduzida de acordo com a DGS;
  • Renovação do ar interior das viaturas e limpeza das superfícies;
  • Evitadas aglomerações durante os períodos de pausa;
  • Durante todo o percurso são postas em prática as regras de distanciamento social;
Deslocação para o local da caminhada

  • A lotação dos nossos veículos será reduzida de acordo com as orientações da DGS;
  • Será acautelada a renovação do ar interior das viaturas e a limpeza das superfícies;
  • Dispomos de carrinhas de 9 lugares que terão a sua lotação reduzida a 6 ocupantes garantido desta forma o espaço entre os participantes durante a viagem;
  • Como alternativa poderá deslocar-se no seu próprio veículo até ao ponto de encontro do início da caminhada.

O que deve levar?

Cada participante deverá trazer água e alimentação suficientes para as suas necessidades, de modo a evitar a partilha de qualquer material entre todos.

Os participantes são aconselhados a trazerem o seu próprio material de combate à propagação do COVID-19 (máscara, desinfetante manual, etc).

  • Mochila pequena (para transporte de água, comida e agasalho);
  • Roupa confortável de acordo com a época;
  • Botas de caminhada ou sapatilhas (material usado e confortável);
  • Agasalho;
  • Impermeável;
  • Cantil (pelo menos 1,5l de água);
  • Óculos de sol e protector solar;
  • Chapéu ou Lenço;
  • Saco do lixo individual.

OUTROS TREKKINGS QUE PODERÁS TER INTERESSE

Strike Tours - Agência de Viagens com RNAVT nº 6588 e RNAAT nº 115/2010 © Todos os direitos reservados